INSTITUCIONAL

Conheça um pouco mais sobre a Viação Pássaro Verde

 

Compra de Passagens
ORIGEM
DESTINO
IDA
VOLTA (opcional)

 

*A Viação Pássaro Verde efetua a venda de bilhetes (Passagens de Ônibus) apenas em suas bilheterias. Contudo, a empresa acolhe a venda de passagens efetuadas pelo site “Portal de Passagens”. Fique atento a cobrança que o mesmo possa fazer pela prestação do serviço de venda on-line.

Nossa História

A Viação Pássaro Verde foi fundada em vinte e quatro de fevereiro de mil novecentos e cinquenta e três, na cidade de Abaeté – MG, com o nome de Irmãos Pereira Ltda. Dois anos depois, tendo adquirido a linha Belo Horizonte – Ponte Nova mudou a sede para o atual endereço, na Rua Rezende nº 1.169, em Belo Horizonte.

O Objetivo da empresa é a prestação de serviços de Transporte Rodoviário Intermunicipal e Interestadual de Passageiros e a Prestação de Serviço Turístico de Superfície.

Em mil novecentos e setenta e cinco, a razão social foi alterada para VIAÇÃO PÁSSARO VERDE LTDA.

Desde mil novecentos e setenta e sete, a empresa expandiu seus negócios com a aquisição de novas linhas, construções e melhorias de garagem, estando hoje em franco desenvolvimento. Como prova a VIAÇÃO PÁSSARO VERDE possui uma garagem central com projeto arrojado, principalmente em tecnologia contando com, aproximadamente, 4.500 m² de área construída em terreno de 30.000 m².

A VIAÇÃO PÁSSARO VERDE possui a concessão de vinte e três linhas no estado de Minas Gerais, servindo a mais de quarenta municípios e dentre eles se destacam: Belo Horizonte, Ponte Nova, Ouro Preto, Viçosa e Diamantina.

Administração da empresa está centralizada em Belo Horizonte, numa área construída de 6.000 m², com instalações completas para manutenção preventiva e corretiva da frota, almoxarifado completo de peças de reposição e Centro de processamento de dados.

Os funcionários contam com alojamento para 100 pessoas, serviço de cantina e restaurante, Central de Recursos Humanos (recrutamento, seleção, treinamento e acompanhamento de pessoal) e assistência médico-odontológica.

A Viação Pássaro Verde tem várias agências de atendimento e venda de passagens espalhadas pelo estado e parceiros para venda online, que oferecem mais comodidade e praticidade para os usuários.

NOSSOS SERVIÇOS

Convencional
Ônibus com 46 poltronas reclináveis em 35 °, apoio para os pés, com toilette.

Executivo
Ônibus com 40 ou 42 poltronas conforto e reclináveis em 40°, apoio para os pés, ar condicionado, toilette e água mineral e Wifi (sujeito a oscilação nas áreas de cobertura da operadora VIVO).

ATENDIMENTO ESPECIAL

Veículos Acessíveis

A Viação Pássaro Verde disponibiliza em sua frota dos seguintes tipos de acessibilidade, como piso antiderrapante e sinalizado, corrimões, campanhia e dois assentos reservados e identificados como lugares preferencialmente destinados a pessoas com deficiência obtendo ainda apoios de braços retráteis acionadas manualmente pelo usuário, bem como em alguns veículos possui  assento para Deficiência de locomoção física ou mobilidade reduzida com elevação.

Os ônibus rodoviários com sanitários dispõem botões para sinalização junto ao motorista em situações emergenciais, barras laterais e/ou alças. e comandos de lavatórios preferencialmente em alavancas ou automáticos.

PASSAGENS INTERMUNICIPAIS

31 3073-7575
(De segunda à domingo de 6h às 22h)

PASSAGENS INTERESTADUAIS

0800 033 7575
Viação Pássaro Verde (Brasília e Ribeirão Preto) e Viação Umuarama

LEI Nº 10.741/2003

LEI Nº 10.741/2003 Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Art. 39. Aos maiores de 65 (sessenta e cinco) anos fica assegurada a gratuidade dos transportes coletivos públicos urbanos e semiurbanos, exceto nos serviços seletivos e especiais, quando prestados paralelamente aos serviços regulares. § 1o Para ter acesso à gratuidade, basta que o idoso apresente qualquer documento pessoal que faça prova de sua idade. § 2o Nos veículos de transporte coletivo de que trata este artigo, serão reservados 10% (dez por cento) dos assentos para os idosos, devidamente identificados com a placa de reservado preferencialmente para idosos. § 3o No caso das pessoas compreendidas na faixa etária entre 60 (sessenta) e 65 (sessenta e cinco) anos, ficará a critério da legislação local dispor sobre as condições para exercício da gratuidade nos meios de transporte previstos no caput deste artigo. Art. 40. No sistema de transporte coletivo interestadual observar-se-á, nos termos da legislação específica: I – a reserva de 2 (duas) vagas gratuitas por veículo para idosos com renda igual ou inferior a 2 (dois) salários-mínimos; II – desconto de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, no valor das passagens, para os idosos que excederem as vagas gratuitas, com renda igual ou inferior a 2 (dois) salários-mínimos. (...) Art. 42. São asseguradas a prioridade e a segurança do idoso nos procedimentos de embarque e desembarque nos veículos do sistema de transporte coletivo.

 

OUVIDORIA

0800 724 4400 (Cliente)

ATENDIMENTO A PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

0800 642 7373 Auditivos e Fala

VENDAS PARA DEFICIENTE
ACESSE O LINK: http://encurtador.com.br/rxKOZ

LEI ESTADUAL Nº 21.121/2014

  • LEI ESTADUAL Nº 21.121/2014 Assegura ao idoso e à pessoa com deficiência que menciona gratuidade no serviço intermunicipal de transporte coletivo de passageiros, altera a Lei nº 12.666, de 4 de novembro de 1997, que dispõe sobre a política estadual de amparo ao idoso, e dá outras providências. Art. 1º Ao idoso com idade acima de 65 anos e à pessoa com deficiência, nos termos da Lei nº 13.465, de 12 de janeiro de 2000, fica assegurado o direito à gratuidade no serviço intermunicipal de transporte coletivo de passageiros, convencional, simples e comercial, conforme o disposto nesta Lei. Parágrafo único. A gratuidade a que se refere o caput destina-se a idoso com idade acima de 65 anos e pessoa com deficiência que tenham renda individual inferior a dois salários- mínimos e limita-se a dois assentos por viagem, disponibilizados pelo critério exclusivo de precedência na solicitação da reserva. Art. 2º Para usufruir da gratuidade prevista nesta Lei, o beneficiário deverá solicitar à empresa delegatária a reserva de assento com, no mínimo, doze horas de antecedência do horário previsto de partida do veículo. § 1º O beneficiário deverá apresentar, no momento da reserva e do embarque, documento de identidade com validade nacional e com foto e o comprovante do cadastramento a que se refere o art. 3º desta Lei, observado o disposto no § 2º deste artigo. § 2º Até que seja implantado no Estado o cadastramento a que se refere o art. 3º, o beneficiário comprovará, para a reserva de assentos e para o embarque, o atendimento dos requisitos previstos nesta Lei, por meio da apresentação de: I – documento de identidade com validade nacional, para a comprovação da idade; II – um dos seguintes documentos, para a comprovação da renda: a) Carteira de Trabalho e Previdência Social com anotações atualizadas; b) contracheque de pagamento ou documento expedido pelo empregador; c) carnê de contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social – INSS; d) extratos de pagamento de vencimentos ou benefícios pagos por órgãos ou entidades públicas; e) declaração escrita, assinada pelo declarante ou por pessoa que se responsabilize pela informação, de que tenha renda individual inferior a dois salários-mínimos; III – laudo médico-pericial emitido por profissional de saúde pertencente a entidade integrante do Sistema Único de Saúde – SUS –, para a comprovação da deficiência. Art. 3º A entidade representativa do setor poderá implantar, às suas próprias expensas, mecanismos de cadastramento, identificação e comprovação da condição de beneficiário idoso ou com deficiência. Art. 4º A recusa injustificada de emissão de bilhete gratuito para o idoso ou para a pessoa com deficiência, observadas as disposições desta Lei, equivale, para a aplicação das penalidades previstas no Decreto nº 44.603, de 22 de agosto de 2007, que contém o Regulamento do Serviço de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal e Metropolitano do Estado de Minas Gerais – RSTC –, à recusa de venda de passagem sem motivo justo.